Salário bruto x líquido: Entenda as diferenças

Fonte da imagem: MegaFrases

Ao iniciar a vida profissional e receber o primeiro salário, muitas pessoas tomam um susto ao se deparar com um valor em sua conta inferior ao da proposta de trabalho.

Isso se deve ao fato de que o salário bruto sofre retenções mensais previstos nas leis trabalhistas.

Para entender melhor a diferença entre o salário bruto e líquido, preparamos este artigo com algumas informações importantes sobre os recebíveis e os descontos de um profissional. Confira!

Diferença entre salário líquido e salário bruto

Primeiramente, para entendermos melhor a apuração do valor recebido pelos trabalhadores no final do mês, é necessário entender as diferenças entre o salário líquido e o salário bruto.

Salário Bruto

Esse termo é dado ao valor do salário sem os descontos, o qual é pago pelo empregador, aquele valor oferecido no fechamento do contrato que ainda vai sofrer as deduções previstas nas leis trabalhistas.

Salário líquido

Esse valor é o que recebemos no final do mês, após serem realizados os descontos como INSS, IR, Vale Transporte, Vale Alimentação e outros. Descontos estes, realizados de acordo com a Consolidação das Leis Trabalhistas.

Como exemplo, o salário de um profissional pode ser R$ 5 mil bruto, mas ao realizar todas as deduções previstas nas leis trabalhistas, este pode receber ao fim do mês o importe de R$ 4.600, que será equivalente ao seu salário líquido.

Deduções realizadas no salário bruto

Para saber o quanto efetivamente um trabalhador vai receber no final do mês, ou seja, seu salário líquido, é preciso realizar o cálculo dos descontos que devem ser deduzidos sobre o valor bruto do pagamento deste.

Os principais descontos na folha de pagamento de um trabalhador envolvem:

  • INSS
  • Vale Transporte
  • Adiantamento (No caso de empresas que antecipam parte do salário para seus funcionários)
  • IRRF
  • Contribuição do sindicato
  • Faltas
  • Atrasos
  • Benefícios (convênio e vale alimentação).

 

Além disso, as horas extras e adicionais também fazem parte desse cálculo e devem ser consideradas junto ao salário bruto mensal do funcionário.

Como e quando as férias devem ser pagas?

O pagamento do abono e de 1/3 das férias deve ser realizado, no máximo, dois dias antes de iniciar as mesmas. Período em que o empregador deve quitar o valor por completo e disponibilizar o recibo com a data em que iniciou as férias e do término das mesmas.

Lembrando que as férias são pagas quando completa o ciclo de 12 meses de trabalho. Além disso, se o contrato de trabalho for suspenso sem justa causa, o trabalhador tem o direito de receber do mesmo modo, no entanto, se não tiver completado os 12 meses, o valor pago será proporcional ao período de trabalho.

 

E ai caro leitor, gostou de mais um dos nossos artigos? Ainda tem duvidas referente aos recebimentos da carteira de trabalho? Aproveite o espaço abaixo e deixe o seu comentário!